Início CARROS DE RUA De volta para o Futuro

De volta para o Futuro

COMPARTILHAR

PASSAT GTS 87

Entusiasta revive a emoção de dirigir um GTS Pointer, porém agora muito mais forte!

 

Em todas as suas gerações, desde seu lançamento aqui no Brasil em 1974, o Passat sempre foi sinônimo de imponência, modernidade e conforto. Com o sucesso do carro no país, o carro foi conquistando o Brasil e diversas variações e modelos ganharam as ruas! Acabamentos e acessórios diferenciavam desde os clássicos até os esportivos da época.

Um dos grandes ícones da década de 1980, o GTS Pointer, marcou a infância e adolescência daqueles que hoje têm entre 25 e 35 anos principalmente os 1985 em diante, que tinha os para-choques largos e os quatro faróis com cara de mal. Acredito que a maioria dos apaixonados por carros que tem esta idade vislumbrava aqueles bancos Recaro, conta-giros no painel e o sagrado volante quatro bolas!

Só quem gosta de verdade, vai até o fim para restaurar e manter um Passat neste nível, enquanto alguns apaixonados apenas pela performance, escolheria uma carroceria diferente, talvez pelo peso ou pela facilidade de encontrar um carro íntegro. Outros que enxergam além da performance, se dedicam também para manter viva a história do carro e reviver os bons momentos, que estão acesos na memória.

Este Passat GTS Pointer 1987, pertence ao Zacha Rossetto do interior do Paraná, seu primeiro carro obviamente foi um GTS Pointer, que por motivos pessoais, foi vendido precocemente deixando um grande vazio na garagem. Anos depois este vazio foi preenchido por outro Passat, este da matéria, que agora além de impecável, dispõe de 580cv na roda em um motor que esbanja tecnologia e resistência.

Toda mecânica foi montada com o intuito de ser forte e que oferecesse o prazer de não visitar a oficina semanalmente, que aguentasse pancada e que voltasse sempre inteiro pra casa e assim foi feito.

A Dragster Motorsport, de Londrina/PR, chefiada por Fernando e Adriano Prado, foi a responsável pelo projeto mecânico. Há mais de 20 anos envolvida com desenvolvimento de motores, tem experiência de sobra quando o assunto é motores AP Turbinados. Montaram um motor idêntico a de um Turbo-B de ponta, com diferença apenas em um comando, mais manso para rua, e uma turbina que permita uma pegada mais baixa para uso urbano.

O motor foi montado em um bloco longo (Golf), com bielas Saenz 300M com 159mm de comprimento, os pistões são Iasa côncavo com 83mm e pino forjado de 21mm, o virabrequim foi herdado do Golf 1.9T Diesel e possui 95,5mm de curso, totalizando 2100 cilindradas (2.1L). Os parafusos de mancal são ARP oferecendo maior segurança quando entra a pressão e aparece o torque.

O cabeçote de fluxo cruzado foi preparado pela renomada Stumpf Cabeçotes de Cascavel/PR, além da equalização dos dutos e câmara de combustão, o componente recebeu sedes de berílio, válvulas em inox de 41mm x 36mm (adm x esc), comando Carlini Competizione W2.3, molas Trick Flow com 110lbs na admissão e 235lbs no escape, além de tuchos Balestrini de 35mm. A vedação é feita por uma junta de aço do Golf e a nova configuração trabalha com 9,8:1 de taxa de compressão, queimando etanol.

O kit turbo é composto por coletor de escape em inox, desenvolvido pela Shalom Escapes Especiais, a turbina é um clássico mundial, uma Precision 6262 com rotor e eixo de 62mm, caixa fria .70 e caixa quente .63(T3). A Wastegate é uma TiAL de 44mm que é acionado por CO2 com o mapa definido no próprio módulo de gerenciamento FT500. Na admissão em alumínio, uma blowoff FTX de 50mm, coletor plenum e corpo de borboleta Expert Racing Parts.

A alimentação é feita por quatro injetores Siemens Deka de 225lbs/h, o coletor suporta até oito bicos, mas de momento apenas quatro alimentam os 580cv na roda no esquema de injeção sequencial. A ignição é orientada por roda fônica e usa quatro bobinas do Fiat Marea, o conjunto trabalha com um módulo de ignição Spark Pro 4 FuelTech, e a injeção, ignição e mapa de turbo, é gerenciado pela FT500. Toda instalação elétrica do carro, dos módulos, injetores e two-step e acionamento do booster nos botões originais do volante, foi feita pela Marcelo Black Eletric, conhecido também como Lafon Performance Systems.

Com gerenciamento e resistência no motor, a transmissão também foi reforçada para poder suportar a nova cavalaria. O câmbio original recebeu engrenagens da Sapinho Câmbios Especiais, e por ser um projeto de rua, usa engrenagens com sincronizado. O blocante também é Sapinho, as pontas de eixo são originais do Santana e o diferencial é original com relação 3,88. A embreagem foi desenvolvida pela própria Dragster Motorsport, buscando aliar performance mantendo o pedal leve.

A suspensão também é especialidade da casa, toda a tecnologia desenvolvida para os tração dianteira mais rápidos do Brasil, testada e aprovada pela Dragster Motorsport, também foi aplicada para o Passat, oferecendo excelente tração sem que tenha um carro travado e duro.

Quando o projeto é idealizado e possui um objetivo definido, fica mais fácil alcançar a satisfação. Durante as fotos e entrevista, Zacha ressalta: “Estou muito satisfeito com o resultado, embora use principalmente nos finais de semana, o tempo que ele fica parado não interfere em nada quando vou usá-lo, é bater na chave e curtir todos os 580cv do meu carro”. Já Adriano Prado, o preparador comenta: “Com todos estes recursos de peças e eletrônica, os carros de rua estão cada vez mais divertidos. Se conseguir traçar um objetivo junto ao proprietário do carro e as ideias baterem, não tem erro! Hoje temos mais um carro de rua, forte, resistente e que só troca o óleo e abastece! Satisfação total do proprietário e mais um trabalho realizado com sucesso para nossa oficina”, finaliza.

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHeraldo Bueno – InjePro

DEIXE UMA RESPOSTA